domingo, 11 de novembro de 2018

LIÇÃO DE VIDA Márcia Pitta

Autora Márcia Pitta - Editora Scortecci

Esta é a segunda vez que leio o livro “Lição de vida”. Na primeira vez eu era Professora Orientadora de Sala de Leitura e a leitura feita, foi uma “leitura compartilhada” com meus alunos. Com os livros gentilmente doados pela escritora Márcia Pitta, fizemos uma viagem neste romance de poucas páginas e repleto de sentimentos.  Desta vez fiz uma leitura aqui no meu cantinho, confesso que fazia muito tempo que não fazia isso; ultimamente, meu cantinho de leitura tornou-se numa verdadeira oficina “frenética” de trabalho, sem tempo para lazer..rssrrs.
Mas vamos ao que interessa, quando lemos uma história de amor, o que esperamos sempre ou quase sempre, é um final feliz... pois é...rsrsrs.... voltemos... a resenha .
O que me fez gostar deste livro e o ler pela segunda vez foi o fato de que a história é muito real, capaz de acontecer com qualquer um de nós. Frequentemente, o primeiro amor acontece quando somos jovens, ali pela época do ensino médio.  Quando li este livro lembrei-me do meu primeiro amor, aquele amor que acreditava ser o meu amor eterno.
...Algo inexplicável nele me atraia, parecia mesmo espiritual. Pg.11
O relacionamento das personagens desta história é um amor que parece ser o certo, mas, no decorrer da trama, a autora vai nos dando pistas, sobre um amor  que ensina lições sobre quem somos e como frequentemente desejamos ser amados, mostrando  sutilmente em cada página, um amor que fere, seja através das mentiras, da dor ou da manipulação.
 Logo no início da trama, acontece o primeiro encontro, o encontro do encantamento e do começo de um sentimento que invade o coração da personagem, mas depois disso, iniciam se os desencontros que nos causam uma montanha russa emocional.
“Senti em suas palavras que eu havia perdido tudo sem nada ter. E...foi naquele momento que desisti.” pág. 13
...
“Como uma estrela que brilha no céu, meus olhos de repente brilhavam em minha face, provocando uma batida acelerada em meu coração. Era mesmo o Biju quem meus olhos fitavam, fazendo de mim um vulcão em erupção.” pág. 15
...
“Fosse lá o que fosse, naquele momento deixei-me envolver emocionalmente. Uni minhas mãos às dele como se assim estivéssemos unindo as nossas forças, e...”  pág. 31

A personagem segue com o coração partido batendo, fazendo-a se perguntar se talvez não precisamos aprender de verdade o que o amor não é, antes de podermos nos agarrar ao que ele realmente é. Quer saber como termina a história? 
Leia, você vai gostar.


Susete Mendes
Clube da Leitura
suse.mendes@hotmail.com

Postar um comentário